BELO, O CERRADO INTRIGA E SURPREENDE O VISITANTE.

     O Distrito Federal ocupa uma área de 5.782,80 quilômetros quadrados dentro do estado de Goiás, limitada a oeste pelo Rio Descoberto e a leste pelo Rio Preto. A linha imaginária do paralelo 15º30´00´´ marca sua divisa ao norte, e o extremo sul é delimitado pelo paralelo 16º03´06´´.

     Com topografia suave, apresentando altitude entre 750 e 1.349 metros, o Distrito Federal é drenado por rios que pertencem às mais importantes bacias fluviais do Brasil : Bacia Platina, Bacia São Franciscana e Bacia Amazônica. Sua altitude média é de 1.100 metros acima do nível do mar e o seu ponto mais alto é a Colina do Rodeador, que possui 1.349 metros e está localizada a noroeste do Parque Nacional de Brasília. A região do Distrito Federal compreende uma velha estrutura de rochas metamórficas ou metamorfizadas, pré-cambrianas ou neo-paleozóicas. As unidades pedagógicas mais representativas são os latossolos vermelhos-escuros, os latossolos vermelho-amaralelos ( solos planos e profundos ), os litossolos ( solos rasos ), os solos aluviais ( de argila impermeável ) e os cambissolos.

     O solo da região geo-econômica do DF é pouco erodido porque sua superfície é, em sua maior parte, coberta por laterita, uma espécie de capa formada por óxidos de ferro e alúminio. Somente nas nascentes dos cursos fluviais observa-se o início de um processo erosivo, com a consequente ocupação de uma vegetação identificada com a umidade dos olhos d´água. A aceleração do processo erosivo faz com que ocorra muitas vezes, o surgimento de um relevo ruiniforme, com alforamentos rochosos.

     De acordo com a classificação de Koppen, o clima do DF se enquadra entre os tipos tropical de savana e temperado chuvoso se inverno seco. Existem duas estações bem definidas: uma chuvosa e quente, que normalmente se prolonga de outubro a abril, e outra fria e seca, em geral de maio a setembro. A temperatura média registrada ao longo do ano é de 20,5º C; a máxima absoluta é de 35º C e a mínima absoluta é de 2º C. A umidade relativa do ar é baixa, variando entre 25% no inverno e 68% no verão. O mês mais seco do ano é setembro, com precipitação pluviométrica média de 75 mm, e o mais chuvoso é dezembro, com precipitação de 875 mm. A precipitação pluviométrica anual é de 1.925 mm. A vegetação original do Brasil pode ser classificadas em florestas, campos e formações complexas. No Planalto Central, predomina um tipo de formação complexa e denominada cerrado, que pertence a uma paisagem vegetal mundialmente conhecida como savana.

     Os cerrados brasileiros são as savanas mais ricas do mundo, com sua variedade de climas, solos e sua grande diversidade genética, que se reflete na formação de ecossistemas únicos. O Distrito Federal encontra-se no centro desse complexo de vegetação, que ocupa quase um quarto da superfície do país.

     A origem dos cerrados é controvertida. Acredita-se que três motivos principais foram responsáveis por sua formação: fatores climáticos, relativos à divisão das estações em seca e chuvosa; edáficos, relativos à composição do solo; e antrópicos, ligados ações do homem como queimadas, criação de gado e derrubadas de matas. O Distrito Federal possui em sua área todos os tipos de vegetação normalmente englobados no termo cerrrado: as matas ciliares ou de galeria, encontradas ao longo dos rios e riachos e de grande importância na manutenção dos mananciais de água; o cerrado propriamente dito, com pequenos arbustos e árvores retorcidas, de casca grossa e distribuídas esparsamente pelo solo coberto de gramíneas; o cerradão, vegetação de transição entre o cerrado e a mata, porém mais densa e com árvores mais copadas que o cerrado; e os campos, onde predominam as gramíneas.

     (fonte: GDF/SETUR/SEBRAE-Brasília coração brasileiro - CODEPLAN)
Foto: Rui Faquini



volta | meio ambiente | o cerrado
fauna | flora | previsão do tempo | imagens da cidade